O Poderoso Chefinho 2 é tão bom quanto o primeiro?

O Poderoso Chefinho 2 é tão bom quanto o primeiro?

14 de agosto de 2021 0 Por leticialinhares

Com a primeira sequência de O Poderoso Chefinho nos cinemas, a pergunta que fica é: O Poderoso Chefinho 2 é tão bom quanto o primeiro? Vale a pena ver mesmo? Vem comigo que te respondo.

O que preciso lembrar do primeiro filme?

Para quem não se recorda muito bem, O Poderoso Chefinho é uma animação da DreamWorks Animation, mesma produtora de Como Treinar o Seu Dragão, lançado em 2017. Apesar do enredo não ser tão original ou desenvolvido, seu carisma atrelado ao tom bem humorado garantiram seu sucesso entre as crianças.

Baseado na série de livros da Marla Frazee, a animação tem um tom parecido com seu irmão Madagascar. Dirigidos por Tom McGrath, que também é responsável por Megamente. O filme conta a história de um bebê falante e de terno, que é na verdade um Agente Secreto que junto com seu irmão mais velho enfrentam uma missão para salvar os pais e impedir uma catástrofe.

Com dublagens muito boas, o primeiro filme tem momentos bem interessantes, cômicos, ainda que pudesse ser bem melhor do que é. Cheio de referências a Cultura Pop, essa é uma das partes mais relevantes da animação junto ao gancho para a sequência.

Para quem não viu ou não se lembra, na verdade a história estava sendo narrada pelo irmão mais velho no futuro: Tim, que está contando a história da Baby Corp para sua filha mais velha. Porém, a informação mais chocante é o nascimento da sua segunda filha, que é também uma agente da Baby Corp, como seu irmão mais novo.

Dessa maneira, a trama do segundo começa exatamente dessa premissa.

Então, eu preciso ver o primeiro para entender?

Não necessariamente, ver o primeiro ajuda a compreender melhor os personagens, mas é possível ver O Poderoso Chefinho 2 sem assistir o primeiro sem nenhum problema.

Além disso, quem viu o primeiro deve ter tido um grande choque com a filha mais nova de Tim: Tina. Que mudou completamente sem nenhum motivo aparente. Provavelmente deve ter sido uma decisão criativa para que ela ficasse mais parecida com os pais ao invés de com o tio. Mas enfim, nada que atrapalhe a experiência, caso queira assistir o primeiro filme ele está disponível no TelecinePlay.

O Poderoso Chefinho @20thCenturyFox.

Sinopse e Enredo

O Poderoso Chefinho 2 – Negócios da Família traz de volta os dois irmãos: Tim e Ted. Agora os dois são adultos e escolheram vidas bem diferentes, enquanto Tim é pai que fica em casa de duas meninas, Ted escolheu focar no trabalho e nunca tem tempo para a família.

Com um tom familiar muito forte, desde o príncipio duas coisas ficam claras o quão bom pai é o Tim e quanto ele sente falta, mas ao mesmo tempo ressente do seu irmão. É em meio a esses conflitos que ele descobre que sua filha também é uma agente da BabyCorp e isso acaba os unindo em mais uma missão.

É melhor que o primeiro?

Com o mesmo tom que o primeiro, O Poderoso Chefinho 2 não consegue superá-lo. Apesar de trazer de volta as referências tão queridas, e ter momentos muito interessantes, como a relação de Tim com sua filha mais velha. No geral, o filme como um todo não é muito coeso.

Com sequências de ação longas demais, e duas histórias que não conversam muito bem, o filme dispersa a atenção do público. Enfim, ele tenta a partir das duas tramas conversar tanto com adultos quanto com crianças, mas acaba não conseguindo fazer nenhum dos dois bem. Pois a história mais interessante acaba sempre interrompida pela de ação, que supostamente deveria ser a principal, mas que não envolve o público.

O que poderia ser melhor?

Nesse longa em específico falta carisma, desenvolvimento e fundamentação do vilão. O enredo todo é fraco, desde as motivações até sua finalização. Mas além disso, várias vezes o filme trilha o caminho mais improvável, buscando gerar mais situações cômicas que soluções, o que funciona algumas vezes, mas não sempre.

Além disso, Tina, a Poderosa Chefinha é bem menos explorada do que poderia e não conquista como Ted fez no filme anterior. Em muitos momentos, ela soa forçada e não tão relevante como deveria dentro da trama. O que é uma pena, pois tinha um grande potencial.

Ademais, alguns pedaços do enredo podem deixar alguns pais incomodados, como a propaganda nem um pouco sutil presente no filme, o bullying e a revolta dos bebês contra os pais que pode influenciar crianças a desafiá-los mais do que já fazem.

O que funciona no longa?

Porém, apesar disso, O Poderoso Chefinho 2 traz algumas reflexões interessantes como a importância de se aproveitar e viver a infância, o abuso de eletrônicos entre adultos e o risco do alto consumo de açúcar em crianças.

Mas, o melhor do filme é, sem dúvida, a relação entre pai e filha de Tim e Tabatha, que rouba total a cena durante todo o longa. Definitivamente teria sido bem melhor se tivessem escolhido focar apenas nessa trama, que toca ao mesmo tempo que faz rir com muito mais naturalidade que a outra. Dessa maneira, se alguém me perguntar se deve ver ou não eu diria para assistir e criar sua própria opinião, mas fazê-lo com as expectativas bem baixas.

O Poderoso Chefinho 2 já está em cartaz nos cinemas brasileiros.

E você já assistiu? Concorda com tudo que eu disse ou tem uma opinião diferente? Comenta aqui embaixo!