O Triste Fim de “O Mundo Sombrio de Sabrina”

O Triste Fim de “O Mundo Sombrio de Sabrina”

8 de janeiro de 2021 0 Por Paulinne Oliveira

Sim amigos. É com dor no coração que eu escrevo que esse final de temporada foi frustrante. Antes de mais nada, venho acompanhando a série O Mundo Sombrio de Sabrina desde seu lançamento na Netflix, em 2018. Desde a primeira parte, a série mostra pontos muito promissores. Porém, ao longo dessas 4 temporadas, os produtores armaram um enterro triste para o fim da trama. Infelizmente, hoje eu venho trazer  (alguns d)os motivos que me fizeram não gostar do final de O Mundo Sombrio de Sabrina.

Atenção: contem MUITO SPOILER!

CHILLING ADVENTURES OF SABRINA (L to R) KIERNAN SHIPKA as SABRINA in episode, 216 of CHILLING ADVENTURES OF SABRINA. Cr. NETFLIX © 2020

Sabrina e sua soluções mágicas para tudo.

Resumo da temporada

Primeiramente, vamos introduzir a temporada. Após o Padre Blackhood espalhar os Terrores Sobrenaturais em Greendale, Sabrina e o Coven junto com seus amigos do Clube do Terror tentam resolver cada um dos 8 terrores ao longo dos 8 episódios dessa parte. Por isso, os episódios de uma hora funcionam quase como de forma independente, mas que culminam na chegada do Vazio no último episódio. A temporada apresenta referências do trabalho de H.P Lovecraft e os tradicionais episódios musicais, admirados pelo produtor executivo Roberto Aguirre-Sacasa.

Todavia, temporada não apresenta um final satisfatório, compromete o desenvolvimento de muitos personagens e deixa mais pontas soltas do que resolve problemas. Vamos aos fatos:

Nick e Sabrina

O casal Endgame. Literalmente.

O início dos problemas

Primeiramente, foi muito difícil para mim assistir aos episódios. Algo na estrutura desses episódios me dificultava assisti-los continuamente por 1 hora, e esse é um grande problema. Por que não otimizar a história para um grande Terror, ao invés de 8? Isso proporcionou cenas em que a solução do problema vinha de forma tão fácil que chegava a ser inacreditável!

Destaque para o Vendedor, que aparece nos episódios 4 e 8. Primeiramente, da onde ele veio? Como que de repete ele tem toda a solução para os problemas e ninguém nem pergunta quem ele é? Complicado…

O Vendedor. De onde veio esse homem?

Assim como os problemas anteriores, precisamos observar que a temporada não se preocupou em mostrar consequências graves sobre os atos da parte 3. Tudo bem que até temos algumas coisas relacionadas à duplicidade da Sabrina. Apesar disso, foi é insuficiente para suprir todas as pontas soltas que os eventos anteriores deixaram.

E esse talvez seja o grande problema da temporada. Ao invés de Roberto Aguirre-Sacasa e equipe tentarem resolver as pontas soltas, eles resolveram ir por um caminho completamente diferente. A temporada termina, a série também e ainda assim nos restam muitos problemas e questões, o que nos deixa com gosto amargo.

O que fizeram com os personagens?

Sabrina de cara é uma personagem difícil e um pouco enjoada. Inclusive, na matéria de 7 protagonistas chatos/irritantes de séries e filmes eu explico um pouco do porquê não gosto dela, e a considero sim uma personagem chata. Entretanto, depois de tudo o que ela passou nas ultimas temporadas, o comportamento de Sabrina nessa 4ª parte é ignorou toda a construção da personagem. Inclusive, ela não foi a única!

R.I.P Desenvolvimento de personagens!

Alguns exemplos: Nosso querido Ambrose, que veio crescendo bastante nas suas tramas individuais, perdeu muito nessa temporada. Assim como os demais, Ambrose viveu à sombra das decisões da Sabrina e a trama principal. Todavia, ele já tinha se tornado bem mais que um coadjuvante, e isso me decepcionou muito. O mesmo acontece com as tias Hilda e Zelda, enquanto descobriam novas faces de suas relações enquanto irmãs e individualmente; Theo e suas questões, antes muito bem trabalhadas, sobre transsexualidade e seu novo relacionamento amoroso; Prudence, que dividiu cena com Ambrose e teve sua trama muito mais explorada ao longo das temporadas; e outros.

Nem Lúcifer e Lilith, que antes eram parte fundamental da história, foram bem aproveitados nessa temporada!

 

Além desses, destaque para o casal Rosalind e Harvey decaiu muito. Ross tem uma trama paralela incrível que é praticamente jogada de lado nessa temporada. Além disso, já não era pro Harvey ter superado esse problema com bruxas? Não fez o menor sentido, depois de tudo, a reação infantil que o roteiro deu para o personagem, que já deveria ter amadurecido.

O fatídico 7º episódio da 4ª parte

Por fim, eu gostaria de separar esse tópico especial dedicado ao episódio 7 dessa temporada. Eventualmente, os últimos 3 episódios finais de uma série servem pra deixar você no ápice das emoções. Eles estão lá para instigar o espectador, colocando os conflitos cada vez mais fortes. Agora me diz: pra que você colocaria um episódio que quebra totalmente esse ritmo no meio da finalização de uma série?

O divertido fanservice que quebrou todo o ritmo.

É isso que acontece nesse episódio. Enquanto o propósito dele é forte para fanservice, os produtores se esqueceran que, nessa altura do campeonato, não era pra ter uma quebra tão brusca ali! Tudo bem que é muito legal você vê as referencias à série de comédia Sabrina Aprendiz de Feiticeira, mas aquilo não cabia no momento. Seria, enfim, mais interessante coloca-lo no início da temporada, e não ocupar um espaço para finalizações importantes, que ficaram em dívida nesse final.

Uma observação: esse episódio me lembrou muito o (também) episódio 7 da 2ª temporada de Stranger Things, onde Eleven descobre mais sobre a história de sua irmã perdida, a Eigth. Da mesma forma, esse episódio também foi muito criticado pelo mesmo motivo: não é que ele seja ruim, é que ele estava no momento errado da série, em meio aos eventos em Hawkins.

E no final de O Mundo Sombrio de Sabrina…

Só nos restou o gosto amargo. Afinal, essa foi uma temporada mal trabalhada, que perdeu-se desenvolvimento de personagens e não nos deu nada de muito novo para sentir saudades. Por fim, fica meus votos: descanse em paz, Sabrina Spellman/Morning Star.

Vá com Deus (?)

Enfim, e você? Concorda ou discorda? Deixe nos comentários sua opinião!

Leia mais: As séries mais esperadas de 2021