Six Invitational 2020: Quem será a nova realeza do Rainbow Six Siege?

Six Invitational 2020: Quem será a nova realeza do Rainbow Six Siege?

2 de janeiro de 2020 0 Por Retzlaff

Com a chegada de 2020 teremos também a nova edição do campeonato mais importante de Rainbow Six Siege. O Six Invitational 2020 ocorre em fevereiro, entre os dias 7 e 16, e a edição atual traz um gostinho a mais pois a vitoriosa e imbatível line da G2 Esports (ex-Penta Sports) sequer está classificada para esta edição.

Ainda sim a região europeia vem com toda a sua força trazendo a nova line favorita ao titulo da Team Empire, os sortudos da Natus Vincere, a velha conhecida line da BDS liderada por Shaiko e uma Giants Gaming que se encontra em má fase, porem ainda sim é um representante da região mais disputada e não pode ser deixada de lado.

page

Faze Clan, Ninjas in Pyjamas, MIBR e Team Liquid são os representantes brasileiros no Six Invitational 2020

O que esperar do Brasil?

Nós brasileiros sempre ficamos no quase, sempre existia uma ótima campanha mas a pressão de enfrentar uma Penta/G2 chegava e os brasileiros não conseguiam executar bem suas estratégias levando ao triunfo do adversário. Porém em 2018 um time brasileiro jogou muito bem chegando a final de uma Pro League contra a antiga Penta Sports onde venceram e não tomaram conhecimento nenhum dos adversários, trazendo assim o primeiro titulo de expressão para a região. Quando vamos falar de chances de times brasileiros sempre lembramos dessa edição pois nela está a receita do bolo e o ingrediente que falta em todas as outras finais: não se deve jogar com pressão, os brasileiros pouco a pouco entenderam isso e recentemente a própria G2 foi desclassificada em um minor pela equipe da MIBR. A pressão não está mais na cabeça dos nossos jogadores e agora é a hora de provar pro mundo a força da nossa região.

O caminho dos brasileiros para a competição foi bem diverso, desde uma temporada quase perfeita para Ninjas In Pyjamas, com Muzi em total destaque, garantindo uma vaga na Pro League e consequentemente uma vaga no SI20. A equipe da NIP tem um erro e é evidente mas a situação pode ainda não ter sido resolvida, existe uma pressão que se instala na equipe quando em presenciais e acaba limitando cada jogador, sem isso eles podem ir longe nesse Invitational, e estamos todos torcendo para a mente desses jogadores estar mais madura e tranquila. Seguindo a equipe da NIP, a Faze Clan também se classificou com a vaga na PL mas a equipe entra como um underdog e não apresenta um perigo evidente para outras organizações, e isso pode ser uma carta na manga para surpreender nos jogos.

As outras duas equipes tiveram caminhos um pouco mais difíceis. Team Liquid passava por uma “má fase” onde andava pressionada e o fantasma do ex-jogador Guilherme “gohaN ” Alf ainda estava na gaming house, essa pressão levou a equipe a não se classificar para finais das Pro Leagues, Major e até mesmo perder uma final de Dreamhack Montreal (que tinha como premiação a vaga para o SI20) para o time da TSM que apesar de ter sua força não deveria ser nem um esforço para o time da Liquid ganhar dois mapas e levar esta Dreamhack. Sem a Dreamhack, a Liquid se encontrava com duas saídas, se classificar e vencer o Oga Pit Season 3 ou galgar sua classificação pela classificatória regional. Neste mesmo Oga Pit estava a equipe da MIBR que também ainda não tinha vaga para o SI20 e acabou estreando contra os gigantes da G2 Esports mas a MIBR não deu nenhum sinal de relutância e com a G2 em uma má fase foi um 2 a 1 tranquilo. Depois do ótimo desempenho de MIBR em cima da G2 tudo indicava que eles ficariam com a vaga mas quando encontraram a Team Liquid em sua chave acabaram perdendo caindo para a chave de perdedores e sendo desclassificados pela equipe norte-americana da SSG, essa que foi á final contra Team Liquid mas os brasileiros queriam a vaga e dessa vez foi diferente da Dreamhack levando pra casa um placar tranquilo de 3 a 1 (MD5) em mapas e garantindo a vaga no Six Invitational 2020. Agora para MIBR só restava a vaga da classificatória sulamericana onde encontrou times de não tanta expressão com destaque para os Golden Boys da Team One, que ficaram com o vice da classificatória e não chegaram ao SI20.

EMP.jpg

Team Empire vencedora do Major Raleigh 2019

Os “favoritos” da região da Europa

Ja foi dito mas é sempre bom lembrar que a equipe da G2 Esports não conseguiu uma vaga no SI20 e a ultima chance do time em ir para esse evento será pela vaga de convite que deve ir para algum time da região da APAC o que daria um tom mais mundial no Six Invitational (nesse caso seriam 4 times de cada região na competição) então contando G2 fora da competição os times da europa são: Team Empire, BDS, Giants Gaming e Natus Vincere. Cada time tem uma analise diferente e especifica, apesar da região sempre ser tratada como a melhor no jogo esse ano os times, apesar de fortes, se encontram todos vulneráveis.

Natus Vincere deve ser um dos que vem com a moral mais alta, os jogadores conseguiram se sagrar campeões da Pro League S10 e isso deve ajudar na moral. Mas para todos esse titulo não significa muita coisa pois essa foi uma PL fraca de competitividade e os times que foram lidaram com desfalques pelas regras politicas do Japão que não disponibilizou vistos, os maiores afetados nesse caso foram os brasileiros que se estivessem com o time completo iriam pra final e provavelmente ganhariam essa Pro League.

BDS é a antiga Millenium que pouca gente lembra mas agora com Shaiiko em seu roster, o jogador havia sido banido pelo uso de macros em uma partida da Pro League mas teve seu ban retirado e desde que voltou ao competitivo vem chamando a atenção pelo jogo solto e despreocupado, mas mesmo com tudo isso a BDS encontrou brasileiros em diversas competições e no ultimo encontro contra Team Liquid no Oga Pit logo pela primeira fase ja foi desclassificada por um placar de 2 a 0 em mapas. BDS não assusta brasileiros mas temos que manter os olhos abertos.

Dos quatro europeus o time que menos representa perigo é Giants Gaming visto que não apresenta jogo expressivo e não deve passar nem da fase de grupos do SI20, acima disso a equipe precisa anunciar um novo jogador no lugar de Alphama que foi retirado da line em Dezembro.

Agora o verdadeiro bicho papão da Europa é a Team Empire, por tempos ouvíamos falar da força russa mas ela nunca chegava e se mostrava diante de nossos olhos mas desde o ultimo Six Invitational isso mudou quando Team Empire chegou pra todos e foi pra final perdendo para a G2. Agora a G2 não está no SI20 e o caminho dos russos está livre para esta conquista visto que as únicas equipes que podem atrapalhar estão nas regiões de nível mais moderado como os brasileiros e os americanos.

na.jpg

Spacestation Gaming vencedora do campeonato nacional da Região NA

A região com mais sede de titulo: North America

O único titulo conquistado pela região norte americana foi o primeiro e quase pode ser desconsiderado pois foi um campeonato “teste” para o que viria, e no próximo campeonato os poderosos europeus liderados pela “antiga” line vencedora da Penta Sports já apareceram e dominaram quase todos os títulos seguintes.

Então a região fica com esse dever de ganhar algum titulo. O nosso titulo brasileiro que não esta entre os maiores ainda sim é mais relevante que o titulo conquistado pela então Continuum (antiga line da Evil Geniuses) e os jogadores desse time hoje em dia se encontram separados depois de vários fracassos diante do time da Penta/G2, o ex-IGL e jogador mais conhecido Troy “Canadian” Jaroslawski atualmente defende o time da Spacestation Gaming, o experiente Brandon “BC” Carr agora é coach da DarkZero e o resto do time ainda está junto com a Evil Geniuses.

São quatro times representantes e desses quatro o que mais prometia assim como os brasileiros da Team Liquid não foi para as finais da Pro League S10 e perdeu a vaga nas finais do Oga Pit para a própria Team Liquid, então a SSG teve que buscar sua vaga pela classificatória regional onde conseguiu. É um time que por composição e alguns resultados apresenta perigo mas nada tão preocupante.

A surpresa do cenário se da para Team SoloMid da qual se esperava apenas uma resistência e no momento é uma equipe muito forte. TSM vinha já tentando se mostrar para o mundo e na DreamHack Montreal eles conseguiram não só ganhando a competição mas jogando a final contra a Team Liquid e levando o jogo tranquilo conquistando a vaga e a honra de uma conquista de DreamHack. Ainda sim TSM fez uma ótima mudança nessa pausa para o SI20 trazendo Geoometrics da EG para seu roster tendo agora uma composição forte em todas as posições e chegando forte no Six Invitational 2020, tudo isso levou TSM a se tornar o time mais importante da região NA.

DarkZero e Team Reciprocity ambas não apresentam perigo, é claro que não se deve baixar a guarda mas em um campeonato desse porte seria uma surpresa ver estes times indo longe.

191024_Aerowolf_Twitter.jpg

Aerowolf, representante da Região da APAC

A região “zebra” da APAC

De todos os times que estão no SI20 os que menos preocupam e chamam atenção são os da região da APAC. A APAC teve uma crescente quando Nora Rengo surgiu e encantou o mundo com suas balas e seu coach icônico mas a perda do jogador principal da line, Yudai “Wokka” Ichise, para o serviço militar do Japão cortou o hype que existia e a APAC voltou a ser uma região complementar dentro do Rainbow Six.

Os classificados até o momento são Aerowolf e Wildcard. Pelo lado de Aerowolf não se espera muito dos jogadores que tem uma experiencia em mundiais pequena e de derrotas assim como Wildcard que não se distancia muito do seu companheiro. E na madruga do dia 5 foi decidido o ultimo representante no torneio qualificatório que traz a equipe da Fnatic de volta ao SI20 depois de sua participação no ultimo Six Invitational em 2019.